ANIMA+GAMES 2022 oferece experiências artístico-tecnológicas para o público em edifício do Banco do Brasil, na Avenida Paulista

Realidades aumentadas e inteligência artificial são alguns dos recursos presentes nas 21 obras que podem ser conferidas gratuitamente;

Os jogos, instalações interativas e animações são assinadas por artistas da França, Alemanha, Japão, Grécia, Canadá, Estados Unidos e República Tcheca, um verdadeiro show de inovação;

As interações proporcionadas pela inteligência artificial, realidades virtual e aumentada deixaram de ser apenas cenas dos filmes de ficção. Cada vez mais presentes no dia a dia são tecnologias empregadas nos mais diversos campos. No edifício do Banco do Brasil, na Avenida Paulista, esses recursos tecnológicos se conectam às artes durante a exibição do ANIMA+GAMES. O evento propicia uma oportunidade imperdível aos visitantes: interagir com seres que habitam uma dimensão paralela, por meio de tablets e smartphones.

O projeto com curadoria do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica – FILE apresenta instalações de realidade aumentada e virtual, games e animações. De 21 obras, 12 são assinadas por artistas da França, Alemanha, Japão, Grécia, Canadá, Estados Unidos e República Tcheca. As outras nove foram concebidas pela espanhola Raquel Meyers, convidada especial desta edição.
Segundo a curadoria do FILE, o ANIMA+GAMES é uma exposição disruptiva, com árduo trabalho de artistas, mas também programadores. Apresenta como diferencial exemplos daquilo que já é avançado e cultuado por uma nova geração de artistas, provocando a percepção de realidade do público.

Para o Centro Cultural Banco do Brasil, o ANIMA+GAMES é uma oportunidade de associar a arte à tecnologia, para ampliar as capacidades humanas, possibilitando a interação e a construção de um imaginário digital.

REALIDADE AUMENTADA E VIRTUAL

O público pode conferir obras em realidade aumentada e virtual, por meio de seus tablets e smartphones. No Edífício Banco do Brasil, estão disponíveis as seguintes obras:
O ANIMA+GAMES conta com duas obras que utilizam recursos de realidade aumentada e virtual. Uma delas é “HanaHana AR”, da francesa Melodie Mousset. O trabalho é centrado na construção corporal, por meio de um jogo interativo e colaborativo que constitui um ambiente imersivo. Neste mundo surreal, braços e mãos são extensões dos corpos dos jogadores, que podem se teletransportar dentro deste universo e multiplicar seus próprios corpos. Estará visível em dispositivos móveis, permitindo interações por meio de tela sensível ao toque.

Theo Triantafyllidis se baseou no conceito do espírito do lugar para criar “Genius Loci AR” (foto: divulgação)

“Genius Loci AR”, do artista grego Theo Triantafyllidis, é outra instalação de realidade aumentada. Tem como base a interpretação lúdica do conceito de Genius Loci ou Spirit of Place (Espírito do Lugar). Uma grande criatura, com personalidade, residindo dentro no espaço expositivo do Banco do Brasil, flutuando, relaxando ou conversando consigo e com o público. Visível em dispositivos móveis, permitindo interações por meio de tela sensível ao toque.

Animações

A mostra no edifício do Banco do Brasil reúne cinco obras de animação. O artista AUJIK apresenta três criações: “Spatial Bodies: Shenzhen & Hong Kong”, “Autocumulus” e “Black Lotus”.

Em “Spatial Bodies: Shenzhen & Hong Kong”, AUJIK aplica uma abordagem conceitual ao município de Shenzhen (na China), recriando o domínio arquitetônico e tornando-o algo que lembra componentes eletrônicos e circuitos interconectados como uma grande placa-mãe de computador. É como se apresentasse um reflexo da rápida aceleração tecnológica da cidade, reiterando o status de uma das metrópoles mais inovadoras do mundo.

“Black Lotus” são esculturas de morphing feitas a partir de instruções geradas por inteligência artificial, com base em projetos arquitetônicos de Zaha Hadid. As imagens são embaladas pela música “Afterglow” da artista Black Lotus. Já em “Autocumulus”, AUJIK se inspira na tese sobre Autonomous Cloud Intelligence e Digital Deity do inventor futurista sul-coreano Hyejin D’s. Essa animação conta com música composta pelo artista eletrônico japonês Daisuke Tanabe.

“Distance” é outra animação presente na mostra. No filme criado pelo artista franco-canadense Eddy Loukil, o Rei e a Rainha do Reino Oxidado iniciam sua velha e tediosa dança, que aos poucos revela as feridas ocultas do relacionamento entre eles. Já “Any Instant Whatever”, da artista alemã Michelle Brand, explora a percepção do tempo, corpos e objetos, e a incapacidade humana de compreender o movimento total das coisas.”Distance” apresenta feridas ocultas do relacionamento vivido por um rei e uma rainha

Games

Cinco jogos estão presentes no ANIMA+GAMES. “Mini Metro”, criado pelo estúdio estadunidense Dinosaur Polo Club, é um deles. O game simula estratégias para projetar um mapa do Metrô numa cidade em crescimento. A proposta é desenhar linhas entre as estações, mantendo-as eficientes.

O designer americano de jogos Joel McDonald é o artista responsável por “Prune”, uma carta de amor às árvores. Com o toque de um dedo a ideia é moldar uma árvore, evitando os perigos de um mundo hostil. Dar vida a uma paisagem esquecida será a maneira de desvendar uma história escondida nas profundezas do solo.

Também no ANIMA+GAMES, “Vectronom” é um jogo de plataforma 3D, no qual os obstáculos mudam em sincronia com a música, forçando os participantes a memorizar padrões e resolver enigmas. Tudo isso enquanto se movem ao ritmo dos sons. A obra é uma criação do Ludopium Studio, da Alemanha.

Vinda da República Tcheca, Amanita Design apresenta “Samorost 3”, um jogo de aventura e quebra-cabeça. O game segue um curioso gnomo espacial que usa os poderes de uma flauta mágica para viajar pelo cosmos em busca de suas origens misteriosas. Nessa empreitada surpreendente é possível percorrer nove mundos repletos de desafios coloridos e suas criaturas.

“Samorost 3”, de Amanita Design, apresenta diversos universos coloridos (foto: divulgação)
Por fim, “The Pathless” apresenta a história de um arqueiro e uma águia que juntos têm a missão de dissipar uma maldição das trevas que domina o mundo. Durante o jogo, cheio de segredos e quebra-cabeças, os visitantes precisam tomar cuidado para não se tornarem caçadas.

ANIMA+ HIGHLIGHT

A artista e performer Raquel Meyers é a convidada especial do ANIMA+GAMES 2022. Ela define seu trabalho como KYBDslöjd, sigla que se refere ao termo inglês keyboard (teclado), e a palavra sueca slöjd (destreza, habilidade). O conceito exprime um tipo de datilografia expandida, com a qual cria animações ao vivo em um fluxo contínuo de texto 8-bit.

O trabalho experimental apresenta uma estética retrô e nostálgica, inspirado na Poesia Concreta e na Arquitetura Brutalista. Em seu processo criativo Raquel utiliza o teletexto, recurso desenvolvido por emissoras de televisão nos anos 70, e um Commodore 64, modelo de computador doméstico criado na década de 1980.

A partir dessas ferramentas, a artista cria mitologias compostas por robôs, zumbis, múmias, vampiros e monstros. “Em suas animações, o ritmo das tecnologias obsoletas é ressignificado e uma nova dinâmica é proposta, como forma de superação do sistema viciante de gratificação instantânea, característico da Era Digital”, comenta a curadora Clarissa Oliveira.
Para o Anima+Games foram selecionadas as seguintes obras: “Inattention” (2020), “Interlude” (2011), “Fist of Trade [2014] by Hack n’ Trade”, “HYDORAH” (2011), “Jumpin’ on blocks” (2016), “We Live In a Time of Monsters” (2014), “2SLEEP1 ❚❚❚❚❚❚❚ 001 Echidna, moder till alla monster” (2011), “2SLEEP1 ❚❚❚❚❚❚❚ 004. SJÖMAN” (2011) e “20 Years Is Nothing by Hack n’ Trade” (2013).

O ANIMA+GAMES é realizado por meio do Edital ProAC Expresso Direto n.º37/2021 e conta com o apoio do Centro Cultural Banco do Brasil. As obras ficam em cartaz até 14/08 no edifício do Banco do Brasil, na Avenida Paulista, com entrada gratuita.

Serviço
ANIMA+GAMES
Data: até 14 de agosto de 2022
Funcionamento: Quarta a sexta, das 12h às 18h
Local: Hall do Edifício Banco do Brasil, Avenida Paulista, 1230, Bela Vista
Classificação indicativa: livre.
Entrada gratuita.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

seis − um =